Um blog cheio de ideias. Algumas soltas... outras nem tanto! Foi a forma de uma copy perdida se encontrar, finalmente, com as suas palavras... E consigo mesma.

Saturday, January 19, 2008



No dia 7 de Janeiro a minha vida mudou. Para dizer a verdade ficou mesmo de pernas para o ar!
Nesse dia a minha irmã deu à luz uma menina. Seria uma notícia fantástica logo à partida se estivéssemos à espera… mas não estávamos.
Ela escondeu toda a gravidez. Parecia uma cena de um filme e eu pensei que ia dar em maluca.
De um momento para o outro era tia e não tinha nem uma peça de roupa para a minha sobrinha. Nada!
Tive 3 dias para preparar o quarto da boneca, as roupas e tudo o que elas iriam precisar. Nem tive tempo para pensar…
De um dia para o outro fiz limpezas e mudanças e telefonemas para todos os que me poderiam ajudar.
Sou muito rica… Tenho amigos incríveis que me ajudaram, a mim e às minhas princesas, desde o primeiro grito de ajuda. Obrigada amigas, vocês sabem bem como vos estamos agradecidas.
Agia mecanicamente... Durante 3 dias não comi, não dormi, não sorri...
E agora, quando olho para trás, parece que já nem me lembro de tudo o que se passou. Mas lembro-me da primeira vez em que vi a nossa princesa… Nunca me vou esquecer. Tão Linda meu Deus, tão perfeitinha.
Chorei desalmadamente! De alegria, de agradecimento por um milagre deste tamanho e de tristeza por não ter podido participar numa fase que deveria ter sido tão especial.
Não julgo a minha irmã… Não sou capaz de o fazer. E neste caso nem o posso mesmo fazer. Ela trouxe para o mundo a bebé mais Linda que alguma vez vi. A nossa Ana Catarina é já tudo para nós. Não vivo sem o seu sorriso, não sorrio sem a sua vida. E ela transformou a minha existência!
De repente tenho medo de morrer ou de ficar doente ou que me aconteça seja o que for. Porque tenho de estar presente na vida dela. Ela e a minha irmã precisam de mim, do meu apoio, da minha veia maternal… E eu preciso delas, mais do que do ar que respiro.
De um dia para o outro aprendemos a mudar fraldas, a dar banhos, a limpar olhos e umbigos cadentes. Sorrimos enternecidas com as suas caretas, derretemo-nos com as suas ainda raras manifestações de afecto, sonhamos com o futuro e sentimo-nos maiores. Deus deu-nos o maior milagre do mundo: uma vida! E cabe-nos a nós mimá-la, amá-la e educá-la.
A minha irmã deu-me o maior presente que eu poderia algum dia pedir. Não sou Mãe, mas sou a tia mais babada do Universo. E, embora com a vida toda virada do avesso, hoje sinto-me feliz, realizada e necessária. Haverá bem maior do que este?

2 Comments:

Blogger Catarina Viegas said...

Minha querida

Muitos parabéns pela nova vida. Uma bebé cheia de sorte,não fosse a tia dela uma Mulher fantástica e toda "babosa".
Vê se dás noticias...

Um beijinho

11:39 AM

 
Anonymous Virginia said...

Parabés Mónica. E entendo-te. Também eu sou somente tia. E quando estou com os dois piolhos sinto algo que nunca senti. Um apelo irracional. Um apelo de sangue? Algo que uma criança não me dá, mas eles dão-me. É estranho para mim a suposta racional.
Goza muito.
V.

12:08 PM

 

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home